fbpx

3 Mitos sobre a (minha) vida de escritora

Quando eu me apresento a alguém como escritora geralmente as reações são sempre de espanto e alguma admiração.
 
Tal como eu tive dificuldade, durante algum tempo, em admitir que a escrita podia ser o meu caminho profissional, acho que a maior parte das pessoas não reconhece isso como uma profissão.
 
A imagem dos escritores que a maioria de nós conhece foi provavelmente muito romantizada por filmes… o escritor eremita que se isola num local paradisíaco para escrever um best-seller…ou então, na versão oposta o desgraçado que que quase morre de fome para sustentar a sua escrita.
 
A verdade é que ser escritor é muito mais do que escrever e por isso, hoje resolvi partilhar contigo alguns mitos sobre a (minha) vida de escritora:
 
1 – Uma escritora passa os dias a escrever. Falso!
Às vezes gostava que isso fosse verdade, mas por outro lado não sei se a inspiração resistiria.
Como disse antes, ser escritor não é apenas escrever, sobretudo quando o fazes de forma independente, como eu.
Há toda uma fase de planeamento, de divulgação, de contacto com os leitores, etc que acabam por ocupar muito mais tempo do que a escrita em si.
Como eu não gosto de estar sempre a fazer o mesmo, isso resulta bem para mim.
Suponho que os grandes autores, os tais dos filmes, possam passar muito mais tempo isolados a escrever, mas tenho dúvidas que apenas passem os dias a escrever.
 
2 – A inspiração não tem horas. Verdade, mas…
É verdade que a inspiração e as ideias surgem a qualquer hora, muitas vezes quando menos se espera e, algumas vezes em momentos pouco oportunos 😛
Mas quando escrevemos sem ser por passatempo, não podemos estar dependentes apenas da inspiração, até porque isso nos colocaria imensa pressão.
Há que aproveitar os momentos de inspiração, mas também é preciso saber criar rotinas e métodos de trabalho e, de vez em quando dar uma ajudinha à inspiração para que ela se revele.
 
3- Todo o escritor é um grande leitor e vice-versa. Falso, mas…
Eu adoro livros e adoro ler, mas a realidade é que existem muitas pessoas que leem mais do que eu e nem todas terão inclinação para a escrita.
No entanto, a leitura abre-nos portas a outros mundos, ajuda-nos a contactar com outras realidades e experiências, a enriquecer o vocabulário entre muitas outras vantagens.
E, por isso, qualquer escritor beneficiará da leitura.
Mas se tiveres um grande leitor em casa, não esperes que ele se torne num escritor, só porque sim. O gosto pela escrita pode e deve ser estimulado tal como o gosto pela leitura.
 
E então, a vida de escritora corresponde àquilo que idealizavas ou nem tanto assim?
Partilha:

2 comments

  1. Tânia Duarte

    Responder

    Admiro muito os escritores a tempo inteiro, num país como Portugal! É preciso ter-se uma certa dose de loucura, regada com paixão. 🙂 Parabéns pela ousadia. 😉

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *